Rome – 5 Do’s and 5 Don’ts in the city

ENG

Rome is a dream city and one of the top destinations in Europe. For many it is at the top of their wish list in terms of travel destination.

While it can be quite overwhelming trying to create an itinerary that includes the main tourist attractions, there are basic principles that can be followed and mistakes that can be avoided.

So I leave you with a list of “do’s and don’ts” that can help you simplify things and make your visit more enjoyable.

Disclaimer: I use affiliate links here, which means that if you buy something through my affiliate links, I receive commission at no additional cost to you! My views and opinions are never influenced by that! I only recommend products and services that I use! Read my disclosure for more information.

Rome
View over the city

Do’s in Rome

Plan your route realistically

Plan your route realistically. If you only have a few days, it is better to see less but enjoy the moment, than to see everything in a rush and in the end appreciate nothing.

Although the activities are, more or less, all concentrated in the city center, with so much to see and do, it is normal for attention to be dispersed.

If there are things that you can just appreciate from the outside, take the “famous ‘gram” photo, and move on. There are others where you must enter, like the Colosseum, for example.

Plan your visit to Rome by areas and split them out over the days you have available. This way you will avoid rushing and frustration if you don’t get to see everything you had in mind.

Buy tickets for major tourist attractions in advance

Buy tickets for major tourist attractions in advance to avoid queues and disappointment. Places like the Colosseum and the Vatican Museums require this attention.

As you can probably imagine, Rome is always full of tourists, no matter what time of year it is.

It is true that months like January and February are less attractive for visitors because of the weather, but you will still find lots of people everywhere.

There are places where it is “almost mandatory” to buy tickets in advance. For instance, to the Colosseum you can no longer buy tickets on site, only online.

Sites like GetYourGuide, allow you not only to buy the tickets online, but also to get some discounts and even have access to priority entry.

Is it worth it? In my opinion, yes.

Buying at GetYourGuide was my choice. Everything went smoothly, from the process of purchasing the tickets to the actual entry to the attractions.

As such, and to avoid huge lines and endless waits, I strongly advise you to buy your tickets before you go.

Wear comfortable shoes
Pantheon

Wear comfortable shoes because you will be walking a lot and although Rome is a city where walking is easy, the distances summed up at the end of the day are enormous.

Yes, it’s true, in Rome you feel like doing more with your looks and wearing clothes that are more in keeping with the scenery.

As a general rule, Italians dress well and take great care with their image. You don’t see people wearing gym clothes unless they are at the gym or exercising in the street.

However, one thing it’s to wear a nice outfit, another it’s to think you’re going to walk around all day in stilettos.

Forget it! Visiting Rome is no match for the Louboutins in your closet. You can even take them with you, but try to wear them only when out to dinner.

You will walk endless miles around the city, and although it is quite accessible and easy to walk around, it is advisable to do so with comfortable shoes on your feet.

Never lose sight of your possessions
Roaming the streets of Trastevere

Never lose sight of your possessions. Rome is a fairly safe city, but like anywhere extremely touristy and crowded, there is always a pickpocket on the prowl.

There is no shortage of police in Rome, especially in the more touristy areas. As such, the city is quite safe and you won’t have to look over your shoulder all the time.

However, basic precautions must be taken, such as not leaving your belongings unattended.

Don’t keep all your money in one place. If your wallet is stolen, with all your money and cards in it, you will be left with nothing.

Distribute your valuables and whenever you are in a crowd, put your backpack forward.

Basically, the precautions to be taken in Rome are the same as in any big city, where tourists walk around with their noses in the air and their eyes on the phone screen, and forget the most important things.

Do your research on the accommodation

Do your research on the accommodation. The prices are all quite high, and in most places there is no breakfast included. So focus on the location. The more central, the better!

The accommodation I chose was located very close to the Trevi Fountain, just 30 meters away.

More central was difficult! I was lucky to book in advance through Booking.com and got a spectacular deal.

I didn’t stay in a hotel because I didn’t think it was worth it. The choice fell on a shared apartment, which was in a private condominium.

Although the apartment was shared in the common area, I never crossed paths with the other guests. It had a huge bedroom with a private bathroom and a fully equipped kitchenette.

Since most hotel prices in central Rome were exorbitant and did not offer breakfast, it did not make up for the value for money.

Spend some time researching the accommodation, as you can save a few bucks and in the midst of so much on offer, you will surely find something that suits your interest.

Booking.com

Don’ts in Rome

Don’t buy bottled water

Don’t buy bottled water. There are numerous street drinking fountains where the water is excellent. Take a reusable bottle and fill it up.

If concern for the environment leads us to take extra care when it comes to the use of single-use plastics, containing travel expenses leads us to carry a reusable bottle.

A simple bottle of water in a restaurant can cost up to 3€. So pay attention to the expense you are willing to make.

There are more than 2,500 fountains, or as the Romans call them “nasoni”, at your disposal.

But beware, don’t fill bottles in the decorative fountains, such as the Trevi Fountain, because the water is not drinkable.

However, I have never used technology to find the fountains. They are everywhere and it is very easy to find them. The water is excellent and there is no problem consuming it.

Don’t take pictures with the “gladiators”
Palatine Hill

Don’t take pictures with the “gladiators”. They will approach you insistently and then, of course, extort money.

You will find them mostly near the Coliseum, of course, and as you would expect.

However, I also found them in other places, for example near the garden that leads to the Villa Borghese.

Please note that these men have nothing to do with the monument, nor are they employees of the place who are there to entertain you.

They are people who dress the character and will want to extort money from you at any cost.

They will stand in front of you and insist that you take a hazing portrait with them. They make it look very innocent and fun, but in the end they ask for money… whatever amount they want!

They can be extremely insistent and some people even complain that they were quite rude when didn’t agree to have their picture taken.

So, the advice is: pass them by and avoid making conversation!

Do not accept “gifts”

Do not accept “gifts”. It’s a scam to then make you buy the overpriced stuff.

Just like the “gladiators” I mentioned in the previous point, there are also pushy salespeople.

And they are everywhere, especially near the most touristy places, where the probability of business is greater.

They will try to sell you a little bit of everything: watches, wallets, bracelets, flowers, and so on.

The secret is to NEVER let them put things in your hands.

Don’t take the “offers” because once you have them, you will have to buy them.

They will tell you to try putting the bracelet on your arm, for example, because it is a gift, but it is just a scam to trick you into buying it.

The best remedy is to ignore the sales attempt if you don’t want to buy.

There is a dress code to respect

There is a dress code to respect. Don’t dress up to go to the Vatican (or any place of religious worship) like someone who is going to the beach.

In many of the religious places, such as churches and basilicas, there are dress codes.

They are not extremely strict rules, but they must be respected.

The vast majority of places of worship have signs at the entrance indicating what not to wear if you decide to enter.

Or, conversely, if you are dressing in the manner shown on the signs, you should avoid entering.

Thus, it is important that if ladies wear a skirt, it should be below the knee. No deep cleavages, no bare shoulders. Carry a scarf in your purse to cover exposed areas, if the need arise.

Forget short shorts or miniskirts, it’s a matter of respect.

As for men, they are asked not to wear shorts or tank tops.

It does not hurt to respect what is asked of you, and if you are not willing to do so, then avoid entering.

Don’t be surprised

Don’t be surprised if you find the stores closed during the lunch hour. In Italy, as in most Mediterranean countries, there is a 2-hour lunch break.

Schedule your activities taking into account the times of the places you want to visit.

This applies to local businesses as well. For those who like to tour the stores and go shopping, be aware that they often close for lunch.

Rome doesn’t have large stores, such as shopping centers, but it does have a street where you can find the biggest brand name stores, the Via del Corso.

It is one of the liveliest streets in the city in terms of commerce, so this is where you should take a walk if you decide to do cardio shopping as an activity.

Colosseum

PT

Roma é uma cidade de sonho e um dos destinos mais badalados na Europa. Para muitos está no topo da lista de desejos em termos de destino de viagem.

Embora possa ser bastante assoberbante tentar criar um roteiro que inclua as principais atrações turísticas, há princípios básicos que podem ser seguidos e erros que podem ser evitados.

Por isso deixo-vos uma lista de “a fazer e não fazer”, que podem ajudar-vos a simplificar as coisas e a tornar a vossa visita mais agradável.

Aviso: Utilizo links de afiliação, o que significa que se comprarem algo através dos meus links de afiliação, recebo comissão sem custos adicionais para vocês! Os meus pontos de vista e opiniões nunca são influenciados por isso! Apenas recomendo produtos e serviços que utilizo! Leiam a minha divulgação para mais informações.

Vista sobre a cidade

A fazer

Planeiem o vosso roteiro de forma realista.

Planeiem o vosso roteiro de forma realista. Se tiverem apenas alguns dias, é melhor ver menos, mas aproveitar o momento, do que ver tudo com pressa e, no final, não apreciar nada.

Embora as atividades estejam, mais ou menos, todas concentradas no centro da cidade, com tanta coisa para ver e fazer, é normal que as atenções se dispersem.

Se há coisas que vos bastará apreciar por fora, tirar a célebre foto e seguir. Outras haverá onde é obrigatório entrar, como por exemplo, o Coliseu.

Planeiem a vossa visita a Roma por zonas e distribuam pelos dias que têm disponíveis. Assim vão evitar correrias e frustrações, caso não consigam ver tudo o que tinham em mente.

Comprem com antecedência bilhetes para as principais atracções turísticas

Comprem com antecedência bilhetes para as principais atracções turísticas para evitar filas e desilusões. Lugares como o Coliseu e os Museus do Vaticano exigem esta atenção.

Como devem calcular, Roma está sempre cheia de turistas, seja em que altura do ano for.

É verdade que meses como janeiro e fevereiro são menos atrativos para os visitantes, por causa do clima, mas ainda assim vão encontrar imensa gente em todo o lado.

Há lugares onde é “quase obrigatório” comprar os bilhetes com antecedência. No Coliseu, por exemplo, já nem é possível comprar bilhete no local, só online.

Sites como o da GetYourGuide, permitem não só adquirir os bilhetes online, como também ter alguns descontos e ainda ter acesso a entrada prioritária.

Se compensa? Na minha opinião, sim.

Efetuar a compra na GetYourGuide foi a minha escolha. Correu tudo lindamente, desde o processo de aquisição dos bilhetes até ao ingresso nas atrações, propriamente dito.

Como tal, e para evitar filas gigantescas e esperas intermináveis, aconselho vivamente a que comprem os bilhetes antes de irem.

Usem sapatos confortáveis
Panteão

Usem sapatos confortáveis porque vão caminhar muito e embora Roma seja uma cidade onde caminhar é fácil, as distâncias somadas no final do dia são enormes.

Sim, é verdade, em Roma dá vontade de caprichar mais nos looks e vestir umas roupas mais enquadradas com o cenário.

Os italianos, regra geral, vestem-se bem e cuidam bastante da imagem. Não se vê gente com roupa de ginásio, se não estiver no ginásio ou a fazer exercício na rua.

Contudo, uma coisa é por um trapinho catita, outra é achar que vão andar o dia todo em salto de agulha.

Esqueçam! Visitar Roma não se compadece com os Louboutin que têm lá no closet. Até podem levá-los, mas saiam com eles só para jantar.

Vão andar kms intermináveis pela cidade, e embora a mesma seja bastante acessível e fácil de percorrer, é aconselhável que o façam com calçado confortável nos pés.

Nunca percam de vista os vossos bens
Passear nas ruas de Trastevere

Nunca percam de vista os vossos bens. Roma é uma cidade bastante segura, mas como em qualquer lugar muito turístico e cheio de gente, há sempre um carteirista à espreita.

O que não falta em Roma é polícia na rua, especialmente nas zonas mais turísticas. Como tal, a cidade é bastante segura e não vão ter que andar sempre a espreitar por cima do ombro.

Contudo, há que ter os cuidados básicos, como seja não deixar os bens sem vigilância.

Não tenham o vosso dinheiro todo no mesmo sítio. Se vos roubarem a carteira, com o dinheiro e os cartões, ficam sem nada.

Distribuam os vossos valores e sempre que estejam no meio de multidões, coloquem as mochilas para a frente.

No fundo, os cuidados a ter em Roma são os mesmos a ter em qualquer grande cidade, onde os turistas andar de nariz no ar e olhos no écran do telefone, e se esquecem do mais importante.

Façam a vossa pesquisa sobre o alojamento

Façam a vossa pesquisa sobre o alojamento. Os preços são todos bastante elevados e, em regra, não há pequeno-almoço incluído.

Portanto, concentrem-se no local. Quanto mais central, melhor!

O alojamento que escolhi estava localizado bem perto da Fonte de Trevi, a escassos 30 metros. Mais central era difícil!

Tive sorte de fazer a reserva com alguma antecedência pelo Booking.com e consegui uma promoção espetacular. Não fiquei em hotel porque considerei que não compensava.

A escolha recaiu num apartamento partilhado, que ficava em condomínio privado. Embora o apartamento fosse partilhado na área comum, nunca me cruzei com os outros hospedes.

Tinha um quarto enorme com casa-de-banho privativa e uma kitchenette totalmente equipada. Como a maioria dos preços dos hotéis no centro de Roma eram uma exorbitância e não ofereciam pequeno almoço, não compensava a relação qualidade/preço.

Dispendam de algum tempo a pesquisar o alojamento, já que assim podem poupar uns trocos e no meio de tanta oferta, vão certamente encontrar algo que sirva o vosso interesse.

Booking.com

A não fazer

Não comprem água engarrafada

Não comprem água engarrafada. Há inúmeras fontes públicas na rua onde a água é excelente. Levem uma garrafa reutilizável e encham-na.

Se a preocupação com o ambiente nos leva a cuidados redobrados no que respeita ao uso de plástico de utilização única, a contenção de gastos em viagem leva-nos a andar com uma garrafa reutilizável.

Uma simples garrafa de água num restaurante podem chegar a custar 3€. Como tal, tenham em atenção a despesa que estão dispostos a fazer.

São mais de 2.500 fontes, ou como lhes chamam os romanos “nasoni”, à vossa disposição.

Mas tenham atenção, não vão encher garrafas nas fontes decorativas, como seja a fonte de Trevi, porque a água não é potável.

No entanto, nunca utilizei tecnologia para encontrar as fontes. Estão por todo o lado e é muito fácil encontrá-las. A água é excelente e não há problema nenhum em consumi-la.

Não tirem fotografias com os “gladiadores”
Monte Palatino

Não tirem fotografias com os “gladiadores”. Vão abordar-vos com insistência e depois, claro, extorquir dinheiro.

Vão encontrá-los maioritariamente junto ao Coliseu, como é óbvio e como seria de esperar.

Porém, também os encontrei em alguns locais como por exemplo junto do jardim que dá acesso à Villa Borghese.

No entanto, tenham em atenção que estes homens nada têm a ver com o monumento nem são funcionários do mesmo que estão ali para vos entreter.

São pessoas que vestem o personagem e que vos vão querer extorquir dinheiro a todo o custo.

Vão por-se à vossa frente e insistir para que tirem um retrato da praxe com eles. Fazem a coisa parecer muito inocente e divertida, mas no fim, pedem dinheiro… o valor que bem entenderem!

Conseguem ser extremamente insistentes e há inclusive quem se queixe que foram bastante rudes quando não se acedeu a tirar fotos.

Assim, o conselho é: passem-lhes ao lado e evitem dar conversa!

Não aceitem “presentes”

Não aceitem “presentes”. É uma burla para depois vos obrigar a comprar as coisas.

À semelhança do que acontece com os “gladiadores” que referi no ponto anterior, também há vendedores insistentes.

E estão por todo o lado, em especial, junto ao locais mais turísticos, onde a probabilidade de negócio é maior.

Vão tentar vender-vos um pouco de tudo: relógios, carteiras, pulseiras, flores e por aí adiante.

O segredo é NUNCA deixar que vos metam as coisas nas mãos.

Não agarrem nas “ofertas” porque uma vez na vossa posse, vão ter que comprar.

Vão dizer-vos para experimentar colocar a pulseira no braço, por exemplo, porque é um presente, mas não passar de um esquema para vos enganar e levar a comprar.

O melhor remédio é mesmo ignorar a tentativa de venda, caso não queiram comprar.

Há um código de vestuário a respeitar

Há um código de vestuário a respeitar. Não se vistam para ir ao Vaticano (ou a qualquer lugar de culto religioso) como alguém que vai à praia.

Em muitos dos lugares religiosos, como igrejas e basílicas, há regras de vestimenta.

Não são regras extremamente rígidas, mas devem ser respeitadas.

A grande maioria dos locais de culto têm na entrada cartazes com a indicação do que não devem vestir se decidirem entrar.

Ou, ao contrário, se estiverem a vestir da forma apresentada nos cartazes, devem evitar entrar.

Assim, é importante que as senhoras caso usem saia, a mesma seja abaixo do joelho. Não usem decotes profundos, nem ombros à mostra. Levem um lenço na mala para tapar as áreas expostas, caso haja necessidade.

Esqueçam os calções curtos ou as minissaias, é uma questão de respeito.

Já no que respeita aos homens, é pedido que não usem calções, nem t-shirts de alças.

Não custa respeitar o que é pedido e, caso não estejam dispostos a fazê-lo, então evitem entrar.

Não fiquem surpreendidos se encontrarem as lojas fechadas

Não fiquem surpreendidos se encontrarem as lojas fechadas durante a hora de almoço. Em Itália, como na maioria dos países mediterrânicos, há uma pausa de 2 horas para almoço.

Programem as vossas atividades tendo em conta os horários dos locais que querem visitar.

Isto aplica-se também a comércio local. Para quem gosta de fazer o tour pelas lojas e de ir às compras, tenham em atenção que as mesmas muitas vezes fecham para almoço.

Roma não tem grandes superfícies, como sejam centros comerciais, mas tem uma rua onde encontram as maiores lojas de marca, a Via del Corso.

É uma das ruas mais animadas da cidade em termos de comércio, por isso, é lá que devem dar um passeio se decidirem pelo “cardio shopping”, como atividade.

Clica para obter 5% de desconto em qualquer seguro IATI

10 thoughts on “Rome – 5 Do’s and 5 Don’ts in the city”

  1. Amazing guide to one of the most visited cites in the world!!! Next year on my very own visit, i’ll be taking your suggestions!!! 😎

Leave a Reply

%d bloggers like this: