Nazaré – Where Tradition Meets Giant Waves

ENG

Nazaré is one of the most charismatic villages in Portugal. Whether for its unique geography, or for its people, no one is indifferent to this place.

Traditional boat at the beach

Disclaimer: I use affiliate links here, which means that if you buy something through my affiliate links, I receive commission at no additional cost to you! My views and opinions are never influenced by that! I only recommend products and services that I use! Read my disclosure for more information.

Full of personality, tradition, religiosity, good food, giant waves, women wearing 7 skirts and breathtaking views, Nazaré is a must visit for those who travel the Center and the Coast of Portugal.

The town of Nazaré has its origins in the 18th century and consists of three distinct places: Praia, Sítio and Pederneira.  Since the first two are the most emblematic, we will focus on them.

Praia has a direct relationship with the fishing activities, due to its proximity to the sea and to the village itself. Every year, since 1995, the Festival of Xávega Art is held, in which a fish auction is recreated on the beach as it was in the 1930s, with the auction and the sale of fish. The ways in which fishing was done, how the nets were arranged (in common parlance, “to tie nets”), and how the fish were sold are also exemplified.

Nazaré beach

Sítio, due to its higher geographical location, has always been a place of refuge for fishermen against pirate attacks.

The place is intrinsically linked to a legend that says that D. Fuas Roupinho, Lord Mayor of Porto de Mós, who liked to spend his free time in Nazaré hunting, one foggy day was saved by Our Lady of Nazaré when his horse, out of control, was falling down the cliff.

From that moment on, it became a secular place of pilgrimage and worship. In Sítio there is also a viewpoint that presents in one of its rocks the mark left by D. Fuas Roupinho’s horse.

The journey between Praia and Sítio can be made by car, on foot by the slope, or by a mechanical elevator built in 1889. If you choose to take the cable car, the cost is 2.50€ each way (adult – one-way ticket), or 4.00€ round trip (adult).

Ticket to the cable car and the view from the view point

Pederneira was one of the most important sea ports of the Alcobaça quarters, between the 12th and 16th centuries, being one of the most dynamic shipyards in the kingdom.

The Nazarenes and the 7 skirts
Lady wearing the traditional vests

“7 skirts, 7 waves of the sea, 7 days of the week”, this is how a lady answered when asked about the meaning of the number of skirts she was wearing.

When we arrive in Nazaré, there is a trademark image that immediately stands out: the typical women’s costumes. Logically associated with the sea, fishing, and the experiences of a local culture intimately linked to the beach.

The short-sleeved blouses with brightly colored lace, the flip-flops, the typical seven rounded skirts, the embroidered silk apron, the headscarf known as a cachené, and often, the black hat. If they are widows, they wear complete black, in more modest garments, but still, of a unique beauty.

Doll representing a woman of Nazaré

It is common to find for sale, in the street stalls or souvenir stores, dolls dressed as the women of Nazaré.

The giant waves

Between November and February of every year, Nazaré sees monumental waves happening on its coast.

Once again, it is the unique location of Nazaré that makes this phenomenon happen and provides an internationally known surfing spectacle.

The Canhão da Nazaré, as it is known, consists of a submerged canyon whose depth varies between 50 and 5,000 meters that, in conjunction with winter storms, make the phenomenon of giant waves happen off Praia do Norte.

Visiting Nazaré

There is no perfect time to visit Nazaré. With a characteristic microclimate, it is quite possible that those who decide to visit in the summer will face days of dense fog, or strong winds. However, don’t let that stop you from visiting the village.

If you are considering just going for the day, the ideal is to start early enough to fully enjoy a day spent there. Who knows, you might even have time for a dip in the cool waters of the Atlantic.

The beach – view from Sítio

Walking along the wall and going around the whole area of Areal Beach in the morning, allows you to understand the dynamics of the day to day life of the people of Nazaré.

From the boats that leave the Porto de Abrigo (harbor) for another day of work, to the fish that is dried in structures on the beach, to the hustle and bustle of the ladies who rent beach huts, to the adepts of the morning jogging, there is a whole hustle and bustle of life on the main avenue of the town.

Fish drying at the beach

Try walking through the narrow streets of the old part of the town, where everyone knows each other, where there are open fires on the doorsteps, clothes drying, children playing, and feel the essence of Nazaré outside the more touristy points.

Narrow street at the old town

And life in Nazaré rhymes with the sea, visible even in the urban design of the village with its narrow streets all oriented towards it.

If for a long time the way of subsistence of the people of Nazaré was inseparable from fishing and some national tourism, nowadays, with the decline of fishing, it is deeply linked to the tourism sector, in its various aspects, and to the fact that the sea, with its giant waves, has put Nazaré in an international sphere of tourist route.

But Nazaré is much more than giant waves and ladies in 7 skirts. It is also gastronomy, once again, associated with the sea. And there is no lack of taverns and restaurants offering the most varied delicacies and snacks, logically, at the most diverse prices!

After lunch, go to Sítio da Nazaré. As explained before, there are several ways to get there and, if you feel up to it, you can do it on foot and enjoy the landscape. In case you don’t feel like digesting so quickly, take the elevator.

It is in Sítio that you will have the most stunning view of the village from the Miradouro do Suberco. And if it is not the most emblematic viewpoint in Portugal, it is not far from it. This is, without a doubt, the “postcard-view” of Nazaré.

Miradouro do Suberco – Credits: Rosa Furtado

In the square next to the viewpoint you will find the centennial bandstand and the Sanctuary of Our Lady of Nazaré. There you will also find countless stalls selling everything from souvenirs to seafood, from coconut water to Berlin balls. Signs of the times and of globalization!

Nazaré’s light house – Credits: Rosa Furtado

Finally, go down to the Fort of São Miguel, from where you can enjoy the view over Praia do Norte and visit the interpretive center of the Nazaré Canyon, which also contains an exhibition of surfboards of the surfers who ride the giant waves. Admission to the Fort costs 1.00€.

Ticket for the light house and fort

With all this, in the meantime, the sun is probably setting. If you are lovers of the famous panoramic swings, and if you want to end the day with a photo for instagram, of the sunset with the village as a backdrop, walk down to the beach through the trail on the hillside. That’s where you’ll find the swing and take some beautiful pictures with one of the most spectacular landscapes in Portugal.

If you decide to stay overnight in Nazaré, there is a wide range of accommodation available. Just be aware that, depending on the time of year, the occupancy rate varies a lot and that in summer you may have to make reservations in advance.


PT

A Nazaré é uma das vilas mais carismáticas de Portugal. Seja pela geografia única, ou pelas suas gentes, ninguém fica indiferente a este lugar.

Barco tradicional na praia

Cheia de personalidade, tradição, religiosidade, boa gastronomia, ondas gigantes, mulheres de 7 saias e vistas de cortar a respiração, a Nazaré é um ponto obrigatório de visita para quem percorre o Centro e o Litoral de Portugal.

A Vila da Nazaré tem as suas origens no século XVIII e é constituída por três locais distintos: a Praia, o Sítio e a Pederneira.  Sendo que os 2 primeiros são os mais emblemáticos, é neles que vamos focar-nos.

A Praia tem uma relação direta com as atividades piscatórias, pela sua proximidade com o mar e com a povoação propriamente dita. Anualmente, desde 1995, realiza-se o Festival de Arte Xávega no qual se recria uma lota na praia como nos anos trinta do século passado, com os pregões e a venda do peixe. São também exemplificados os modos como se pescava, como se arranjavam as redes (em linguagem comum, “atar redes”) e se vendia o peixe.

Vista da Praia a partir do Sítio

O Sítio, pela sua localização geográfica mais elevada, foi desde sempre o local de refúgio dos pescadores contra os ataques de piratas.

O lugar está intrinsecamente ligado a uma lenda que conta que D. Fuas Roupinho, Alcaide-mor de Porto de Mós, que gostava de passar o seu tempo livre na Nazaré a caçar, num dia de nevoeiro foi salvo pela N. Sra. da Nazaré quando o seu cavalo, descontrolado, ia caindo pelo precipício.

A partir desse momento, passou a ser um lugar secular de peregrinação e culto. No Sítio existe ainda um miradouro que apresenta numa das suas rochas a marca deixada pelo cavalo de D. Fuas Roupinho.

O trajeto entre a Praia e o Sítio pode ser feito de carro, a pé pela encosta, ou por um ascensor mecânico construído em 1889. Se a opção for fazer o trajeto pelo ascensor, o custo é de 2,50€ para cada lado (adulto – bilhete simples), ou 4,00€ ida e volta (adulto).

Bilhete para o ascensor e vista a partir do Sítio

Já a Pederneira foi um dos mais importantes portos de mar dos coutos de Alcobaça, entre os séculos XII e XVI, constituindo um dos estaleiros mais dinâmicos do reino.

As Nazarenas e as 7 saias
Senhora vestida com o traje tradicional

“7 saias, 7 ondas do mar, 7 dias da semana”, foi assim que uma senhora respondeu quando questionada sobre o significado do número de saias que trazia vestidas.

Quando chegamos à Nazaré há uma imagem de marca que salta imediatamente à vista: os trajes típicos das mulheres. Logicamente associados ao mar, à pesca e às vivencias de uma cultura local intimamente ligada à praia.

As blusas de manga curta com renda em cores vivas, as chinelas, as típicas sete saias rodadas, o avental de seda bordado, o lenço sobre a cabeça conhecido por cachené e muitas vezes, o chapéu preto. Se forem viúvas trajam de preto integral, em vestes mais modestas, mas ainda assim, de uma beleza única.

Boneca vestida como as mulheres da Nazaré

É comum encontrar para venda, nas bancas de rua ou lojas de souvenirs, bonecas vestidas como as mulheres da Nazaré.

As ondas gigantes

Entre novembro e fevereiro de todos os anos, a Nazaré vê acontecer na sua costa ondas monumentais.

Mais uma vez, é a localização única da Nazaré que faz com que este fenómeno aconteça e proporcione um espetáculo de surf internacionalmente conhecido.

O Canhão da Nazaré, como é conhecido, consiste num Canyon submerso cuja profundidade varia entre os 50 e os 5.000 metros que, em conjugação com as tempestades de inverno, fazem acontecer o fenómeno das ondas gigantes, ao largo da Praia do Norte.

Visitar a Nazaré

Não há alturas perfeitas para visitar a Nazaré. Com um microclima característico, é bem possível que quem decide visitar no verão se depare com dias de nevoeiro cerrado, ou nortada forte. No entanto, não deixem que isso vos demova de conhecer a Vila.

Se considerarem ir apenas passar o dia, o ideal será começar a visita bem cedo, para conseguirem desfrutar em pleno de um dia passado por lá. Quem sabe, assim ainda sobra tempo para um mergulho nas águas frescas do Atlântico.

Vista da praia a partir do Sítio

Passear pelo paredão e percorrer toda a zona da Praia do Areal pela manhã, permite perceber a dinâmica do dia a dia das gentes da Nazaré.

Desde os barcos que saem do Porto de Abrigo para mais um dia de faina, ao peixe que é posto a secar em estruturas próprias no areal, à azafama das senhoras que alugam barracas de praia, aos adeptos do jogging matinal, há todo um reboliço de vida na Avenida principal da localidade.

Peixe a secar na praia

Experimentem deambular pelas ruas estreitas da parte antiga da Vila, onde toda a gente se conhece, onde há fogareiros nas soleiras das portas, roupa estendida a secar, crianças a brincar e sintam a essência da Nazaré fora dos pontos mais turísticos.

Ruela no centro antigo da Vila

E a vida na Nazaré rima com mar, visível até no desenho urbano da Vila com as ruelas todas orientadas para o mesmo.

Se durante muito tempo a forma de subsistência das gentes da Nazaré era indissociável da pesca e de algum turismo nacional, nos dias de hoje, com o declínio das pescas, está profundamente ligada ao setor do turismo, nas suas diversas vertentes, e ao facto de o mar, com as suas ondas gigantes, ter colocado a Nazaré numa esfera internacional de rota turística.

Mas a Nazaré é muito mais do que ondas gigantes e senhoras de 7 saias. É também gastronomia, mais uma vez, associada ao mar. E o que não falta por ali é oferta de tascas e restaurantes, com os mais variados pitéus e petiscos, logicamente, aos mais diversos preços!

Depois do almoço, vão ao Sítio da Nazaré. Como foi explicado anteriormente, há várias formas de lá chegar e, se se sentirem com coragem, podem fazê-lo a pé e ir desfrutando da paisagem. Caso não vos apeteça fazer a digestão tão rapidamente, subam no ascensor.

É no Sítio que terão a vista mais estrondosa da Vila, a partir do Miradouro do Suberco. E se este não é o miradouro mais emblemático de Portugal, não andará muito longe disso. É, sem dúvida, esta a “vista-postal” da Nazaré.

Miradouro do Suberco – Créditos: Rosa Furtado

No largo junto ao miradouro vão encontrar o coreto centenário e o Santuário de Nossa Senhora da Nazaré. É lá que vão encontrar também inúmeras bancas a vender desde souvenirs a marisco, de a água de coco a bolas de Berlim. Sinais dos tempos e da globalização!

Farol da Nazaré – Créditos: Rosa Furtado

Por fim, desçam ao Forte de São Miguel, de onde podem apreciar a vista sobre a Praia do Norte e visitar o centro interpretativo do Canhão da Nazaré, que contem também uma exposição das pranchas dos surfistas que se fazem às ondas gigantes. A entrada no Forte tem o preço de 1,00€.

Bilhete para o Forte e Farol

Com tudo isto, entretanto deve estar o sol a pôr-se. Se forem amantes dos famosos baloiços panorâmicos, e se quiserem terminar o dia com uma foto para o instagram, do pôr-do-sol com a Vila como pano de fundo, desçam a pé até à Praia pelo trilho na encosta. É lá que vão encontrar o baloiço e tirar uns retratos bonitos com uma das paisagens mais espetaculares de Portugal.

Se decidirem pernoitar pela Nazaré a oferta de alojamento é imensa. Tenham apenas atenção que, consoante a altura do ano, a taxa de ocupação varia bastante e que no verão podem ter que fazer reserva com alguma antecedência.

Booking.com

2 thoughts on “Nazaré – Where Tradition Meets Giant Waves”

Leave a Reply

%d bloggers like this: