10 Days In Iceland – How much does it REALLY cost?

ENG

I am often asked how much my trip to Iceland cost.

Because it is an expensive destination, at least by most traveler standards, there is a certain stigma about it. So let’s clear up a few questions and break down all my expenses. Always keep in mind that this trip took place before the pandemic, so this does not include test costs, cancellation insurance due to covid, etc.!

I traveled to Iceland with a friend, so the costs were splited by 2 people. Of course, when I say “costs” you must exclude the value of the flights and the personal expenses. So let’s start ate the beginning!

The Flights  

The flights at the time cost 380€ round trip, with a stopover in Frankfurt. It was a very good price for that destination and if you do your “homework” in the most recurrent search engines, you’ll surely find good deals.

I advise you to buy flights with enough luggage included if you consider going in winter, because you’ll need warm and bulky coats and snow boots.

Car Rental  

Regarding car rental, we chose to rent a station wagon (Hyundai I30). We still considered renting a motor home, as the goal was to drive all over the country, but the temperatures were still very low and we were going to freeze, specially during the night time.

The rental cost us 300€ for the 10-day period, not counting the day of arrival.  The option was to rent through a local company and, as a general rule, I always do this because it has attractive prices.

Everything went smoothly and we had absolutely nothing to point out. 

Car insurance  

Regarding insurance for the car, we opted for a full coverage insurance that cost about 350€. Note that insurance is very expensive and will greatly inflate the amount you spend.

And why is that? Because Iceland has very peculiar characteristics, it can be sunny and after 10 minutes a brutal snowstorm is falling, and the most recurrent accident, besides the skidding because of ice, is the “pulling out” of doors, due to hazardous winds.

For those who travel in winter, it’s advisable to rent a 4 x 4. At the time I saw some reviews on car rentals, and thought it was a bit exaggerated, until I got there and caught gigantic scares because the station wagon didn’t have rear-wheel drive.

Anyway, they garantee tires suitable for winter (with a kind of pitons) because they doon’t use chains on it.

Fuel   

To give you an idea, in 10 days we drove approximately 3,000 km. We traveled all over the country, went through the Snaefellsness Peninsula and did the Golden Circle. We spent approximately 200€, bear in mind that the price of fuel is similar to the price in Portugal.

It is obviously expensive, but the consumption of the car was nothing much, it spent 4,5L / 100 km.
If you travel only through the south of the country, you will need four/five days to do it, you will not need a spectacular car. But if you are going to travel all over the country, I advise you to look for the best of both worlds: a safe and economical car.

Pay attention to the fuel level in Iceland because there are no fuel pumps on every corner, try to always keep the tank medium to full. You will drive hundreds of kilometers without seeing a person, let alone a fuel pump!

Mobility and transportation   

We paid a toll of 18€ because we decided, in the north of the country, to go through a tunnel (and tunnels and tolls in Iceland are very expensive) and it was 18€ to go something like 20 km. We wanted to save time because if we went around the fjord it would take us another 4 or 5 hours to do so and we wanted to cross the whole north of the country that day.

The only alternative transport we used was the cab. And to make a long story short, we were cheated, the lady pressed the interregional button instead of the near zone button. And we paid 20€ for 2 km, to deliver the car at the airport!

Accommodation   

Let’s talk about accommodation in Iceland.
The first thing to keep in mind is that Iceland doesn’t have a very large supply of accommodation.
It has in terms of quality, but not in terms of quantity. It has hotels and hostels mainly in the big cities, but if you want to travel around the country, as we did, you should try to find alternatives.

If you go in the summer, you can stay in a motor home. If you go in the winter, I don’t recommend it because of the very low temperatures.

The reasonable option we found was to stay in Airbnb. All the accommodations we stayed in were fabulous, they were really good and corresponded exactly to what appeared in the photos
The prices are expensive, very expensive considering the context and the offer.

Airbnb accommodation in Iceland ranges from 80 to 100 €/room and per night. In this case I am referring to a room in a house with the other spaces shared (living room, kitchen, bathroom) with other guests.

It was, in our case, considered the most reasonable option in terms of spending money on accommodation, and yet, in total we spent almost 950€.

Although there weren’t many options, we chose to stay in an Airbnb because we wanted to have a place to cook. We were always on the road and when we were traveling we had to stop to eat and probably 70% of the way we didn’t go to places where we could eat.

So the ideal was to cook for dinner and also make lunch for the next day, this way and save a lot of money

Communications   

As of June 2019 roaming (calls) is free in Europe in the Schengen area, you only pay for Wi-Fi, and this is outrageous!

In the case of Iceland, we decided to hire the services of a company called Trawire that rents routers we can take around the country.

The router for 10 days cost 72€. The rental is done through the company’s website, you pick up the device at a counter at the airport and on the day you return home, you also leave the router at the airport, in the mailbox.

It was the best solution we found to be always communicable and to have permanent access to the GPS.

Food 

I left food for the end because it is a little more complex subject.
Food in Iceland is expensive! It’s not just a little expensive, it’s really stupidly expensive!

To give you an idea, we paid for a hamburger and potatoes (a very small amount of potatoes) 25€ without drinks. Iceland is very famous for its hot dogs, so we obviously had to try it and paid 9€ for a bun with sausage, sauces and some potatoes.

We knew beforehand that food in Iceland was very expensive. So what did two girls who don’t swim in money do? We took food from home! And when I say “food”, I mean pasta, canned goods, rice, instant soup, just like if we were going camping.

These are things that are allowed to be carried in the luggage, and everything we could take from here, we took… from coffee, to cappuccino!

Still, and because logically we had to go to the supermarket to buy salads, fruit and fresh meat, we spent an average of 400€ in 10 days.

I remember entering a pub in Stykkisholmur and the lady was very happy to see us because in winter there are no tourists. The lady came running up to us to inform that they were having “Happy Hour” and that the beer only cost 4,5€ , that is, it was 50% off… an average beer normally costs 9€.

So if you go to Iceland, it’s one of two things: either go full of food like we did, or go full of money.

Doing the math:

So, to conclude, we came to the conclusion that the trip averaged 1200€ per person. As I said at the beginning, the value of the flights was per person and all other expenses were divided between the two of us. So that means 1.200€ + 380€!


PT

Perguntam-me muitas vezes quanto custou a minha viagem à Islândia. Por ser um destino caro, pelo menos para os padrões de viagem mais comuns, há um certo estigma em relação ao mesmo. Vamos por isso esclarecer algumas questões e esmiuçar todas as minhas despesas.

Tenham sempre em atenção que esta viagem se realizou antes da pandemia e no caso não estão contempladas despesas com testes, seguros de cancelamento devido à covid, etc.! Atualmente será ideal fazerem seguro de viagem, para tal, podem usufruir da oferta de 5% de desconto em todos os Seguros IATI que tenho para oferecer aos leitores do blog.

 Viajei para a Islândia com uma amiga, pelo que, os custos foram divididos por 2 pessoas. Como é óbvio, quando refiro “custos” devem excetuar o valor dos voos e as despesas pessoais. Vamos então começar pelo princípio! 

Os Voos 

Antes de mais nada, temos as despesas com os voos.  Os voos na altura custaram 380 euros de ida e volta, com escala em Frankfurt. Também pode fazer uma escala em Londres, é uma escala recorrente. 

De qualquer forma, foi um preço muito bom que conseguimos na altura e se pesquisarem nos motores de busca mais recorrentes, por certo, encontram bons negócios 

Aconselho a comprarem voos com inclusão bagagem suficiente se considerarem ir no Inverno, porque vão precisar de casacos e botas de neve quentes e volumosos. 

Carro de Aluguer 

Em relação ao aluguer de automóvel, optámos por alugar uma Station Wagon (Hyundai I30). Ainda ponderámos alugar uma autocaravana, porque o objetivo era percorrer o país todo de carro, mas as temperaturas ainda eram muito baixas e íamos sofrer com o frio, especialmente durante a noite. 

O valor do aluguer do carro custou-nos 300€ para o período de 10 dias, sem contar com o dia da chegada. 

 A opção foi alugar através de uma empresa local e, regra geral, é sempre o que faço porque tem preços mais atrativos .  Correu tudo lindamente e não tivemos absolutamente nada a apontar. 

Seguro do carro 

Em matéria de seguro para o veículo, optámos por um seguro de cobertura total que custou cerca de 350€. Notem que o seguro é caríssimo e vai inflacionar bastante o valor que gastam. 

E porquê? Porque a Islândia tem características climáticas muito peculiares, pode fazer sol e após 10 minutos está a cair uma brutal queda de neve e o acidente mais recorrente, para além da derrapagem por causa do gelo é o “arrancamento” de portas, porque os ventos são algo ciclónicos. 

Para quem viaja no Inverno é aconselhável alugar um 4 x 4. Na altura em que vi as reviews sobre alugueres de carros, achei que era um pouco exagerado, até apanhar sustos gigantescos porque a station não tinha tração atrás. 

De qualquer forma, eles garantem pneus apropriados para o Inverno (com uma espécie de pitons) porque não usam correntes nos mesmos.   

Combustível  

Para terem uma ideia, em 10 dias fizemos aproximadamente 3.000 km. Percorremos todo o país, percorremos a Península de Snaefellsness e fizemos o Golden Circle. Gastámos aproximadamente 200€, tenham em consideração de que o preço do combustível é semelhante ao preço em Portugal. 

É obviamente caro, mas o consumo do carro nem foi grande, gastou 4,5L / 100 km. 

Se viajarem apenas pelo sul do país, precisarão de quatro / cinco dias para o fazer, não vão necessitar de um carro espetacular. Mas se vão percorrer todo o país, aconselho a procurarem o melhor de 2 mundo: um carro seguro e económico. 

Tenham atenção ao nível de combustível na Islândia porque não há bombas de abastecimento em cada esquina, tentem manter sempre o tanque de médio a cheio. 

Vão percorrer centenas de quilómetros sem ver uma pessoa, quanto mais uma bomba de combustível!  

Mobilidade e transporte  

Pagámos 18€ de portagem porque decidimos, no norte do país, ir por um túnel (e os túneis e portagens na Islândia são muito caros) e foram 18€ para fazer qualquer coisa como 20 km. Queríamos poupar tempo porque, se déssemos a volta ao fiorde, levaríamos mais 4 ou 5 horas para o fazer e quisemos atravessar o norte do país todo nesse dia. 

Sobre transportes alternativos o único que utilizámos foi o táxi. E para resumir a peripécia, fomos enganadas, a senhora em vez de pressionar o botão de zona próxima, pressionou o botão inter-regional. E pagámos 20€ por 2 km, para ir entregar o carro ao aeroporto! 

Alojamento  

Vamos falar de alojamento na Islândia.  

A primeira coisa a ter em conta é que a Islândia não tem uma oferta muito grande de alojamento.  

Tem em termos de qualidade, mas não em termos de quantidade. Tem hotéis e albergues principalmente nas grandes cidades, mas se quiserem viajar por todo o país, como nós fizemos, devem tentar encontrar alternativas. 

Se for no Verão, pode ficar numa autocaravana. Se for no Inverno, não aconselho por causa das temperaturas muito baixas. 

A opção razoável que encontrámos foi ficar em Airbnb. Todos os alojamentos em que ficámos neste sistema foram fabulosos, eram realmente bons e correspondiam exatamente ao que aparecia nas fotografias  

Os preços são caros, são muito caros considerando o contexto e a oferta. O alojamento em Airbnb na Islândia varia de 80 a 100 €/quarto e por noite. Neste caso, estou a referir-me a um quarto numa casa com os restantes espaços partilhados (sala, cozinha, wc) com outros hóspedes. 

Foi, no nosso caso, considerada como a opção mais razoável em termos de gastar dinheiro em alojamento, e, no entanto, no total gastámos quase 950€.

Apesar de não haver muitas opções, escolhemos ficar em Airbnb porque queríamos ter onde cozinhar. Foi andar sempre na estrada e quando estávamos em viagem tínhamos de parar para comer e provavelmente em 70% do percurso, não fomos a lugares onde pudéssemos fazer uma refeição. Como tal, o ideal foi cozinhar para o jantar e também fazer o almoço do dia seguinte, e assim poupar muito dinheiro.

Telecomunicações 

A partir de Junho de 2019 o roaming (chamadas) passou a ser gratuito na Europa no espaço Schengen, só se pagando o wi-fi e este é um balurdio! 

No caso da Islândia, decidimos contratar os serviços a uma empresa chamada Trawire que aluga routers que podemos levar por todo o país. 

O router para 10 dias custou 72€. O aluguer é feito através do website da empresa, o levantamento do dispositivo é feito num balcão no aeroporto e no dia em que regressam a casa, deixam o router também no aeroporto, na caixa de correio.   

 Foi a melhor solução que encontrámos para estarmos sempre comunicáveis e para ter acesso permanente ao GPS. 

Alimentação 

Deixei a alimentação para o fim porque é um assunto um pouco mais complexo. 

A comida na Islândia é cara! Não é um bocadinho puxada, é mesmo estupidamente cara!  

Para terem uma ideia, pagámos por um hambúrguer e batatas (uma quantidade muito pequena de batatas) 25€, sem incluir bebidas. 

 A Islândia é muito famosa pelos cachorros quentes, obviamente que tivemos de experimentar e pagámos 9€ por um pão com salsicha, molhos e algumas batatas.

Sabíamos de antemão que os alimentos na Islândia eram muito caros. E o que fizeram 2 miúdas que não nadam em dinheiro? Levámos comida de casa! 

E quando digo “comida”, refiro-me a massa, enlatados, arroz, sopa instantânea, assim como se fôssemos acampar. 

São coisas que estão autorizadas a ser transportadas na bagagem de porão e tudo o que podíamos levar daqui, levámos… do café, ao cappuccino! 

Ainda assim, e porque logicamente tivemos que ir ao supermercado para comprar saladas, fruta e carne fresca, gastámos uma média de 400 euros em 10 dias. 

Lembro-me de entrar num Pub em Stykkisholmur e de uma senhora estar muito feliz por nos ver porque no Inverno não há turistas. A senhora veio a correr ao nosso encontro informar de que estavam em “Happy Hour” e que a cerveja custava apenas 4,5€, ou seja, estava com 50% de desconto… uma cerveja média custa normalmente 9€.  

Por isso se forem à Islândia, das duas, uma: ou vão cheios de comida como nós fizemos, ou vão cheios de dinheiro. 

Fazendo as contas: 

Assim, para concluir, chegámos à conclusão de que a viagem ficou numa média de 1.200€ por pessoa. Como disse no início, o valor dos voos era pago individualmente e todas as outras despesas foram divididas pelas duas  pessoas. O que quer dizer 1.200€ + 380€ !

Clica na imagem para teres desconto direto de 5% em qualquer seguro IATI

5 thoughts on “10 Days In Iceland – How much does it REALLY cost?”

  1. Pingback: Iceland – The Extraordinary Winter Wonderland -

Leave a Reply

%d bloggers like this: